Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 29 de outubro de 2016

SEMANA NACIONAL DO LIVRO E DA BIBLIOTECA

MILKSHAKE LITERÁRIO 


Essa semana (do dia 23 a 29 de novembro) comemorou-se a Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, instituída pelo Decreto n° 84.631, de 09/04/80. Apesar de pouco difundida em muitas instituições, essa semana tem por objetivo incentivar a leitura, trazer visibilidade ao livro e as bibliotecas como equipamentos de cultura e transformá-los em símbolos do acesso a informação para a construção do conhecimento.

Esse também foi o Decreto que instituiu o Dia do Bibliotecário (12 de Março), em homenagem a data de nascimento do bibliotecário e poeta Manuel Bastos Tigre.

Para fecharmos a semana aqui no MilkShake, vou responder a TAG Livros Nacionais, minha paixão nada secreta, com livros que eu peguei emprestados ou tomei conhecimento nas Bibliotecas da UFPE, com algumas exceções.
Achei a Tag no blog Infinitos Livros, para conferir as respostas da Samy é só clicar aqui.


                                    #TAG Livros Nacionais


1 - Qual o último livro nacional que você leu?

O livro de poesia Bagagem da mineira Adélia Prado. Livro maravilhoso que em breve vou trazer novidades sobre ele por aqui. Por enquanto, o que posso dizer é que recomendo DEMAIS!

Adélia Prado - Bagagem. Exemplar da Biblioteca Central da UFPE.
Fonte: Arquivo Pessoal, 2016.

2 - Que livro nacional você está lendo?

Vocês já sabem que eu sou fã de carteirinha do José de Alencar, não é? Então o livro nacional da vez não será novidade para ninguém.  A Vida de José de Alencar, do Luís Viana Filho. Adoro biografias e essa já é a segunda do autor que leio.


A Vida de José de Alencar - Luís Viana Filho. Exemplar da Biblioteca Central da UFPE.
Fonte: Arquivo Pessoal, 2016.

3 - Qual o próximo livro nacional que irá ler?

Eu não faço a menor ideia! Não planejo nada para as minhas leitura de lazer, vou lendo o que dá vontade na hora, o que trago da biblioteca, o que compro em promoção, o que ganho de presente... A ordem aqui em casa é não ter ordem. No entanto, estou devendo há uns 3 anos a leitura de Menino de Engenho do José Lins do Rego. Pode ser que a vez dele tenha chegado agora...


Meu exemplar de Menino de Engenho - José Lins do Rego.
Fonte: Arquivo Pessoal, 2016.

4 - Um livro nacional que você amou?

UM só??! Mas que pergunta ingrata foi essa?
Eu vou indicar uma novidade que eu amei ler em 2016: Cacau de Jorge Amado.
Esse foi o ano que conheci a escrita de Jorge e não quero mais largar. Ando com fixações de conhecer Ilhéus e o autor tem sido meu primeiro guia nessa futura viagem. Terras do Sem-Fim já está na lista, será o próximo do autor.

Cacau - Jorge Amado.
Fonte: Sebo Traça, 2016.

5 - Um livro nacional que te decepcionou?

A Namorada do Meu Amigo da escritora Graciela Mayrink. Foi um livro que li torcendo para o fim chegar logo, não consegui me envolver com os personagens ou com o enredo. O que foi uma pena, tinha muitas expectativas com essa obra, pois amei o primeiro livro da autora: Até Eu Te Encontrar. 


Meu Exemplar de A Namorada do Meu Amigo - Graciela Mayrink.
Fonte: Arquivo Pessoal, 2016.

6 - Uma capa que você amou?

Amplitude Compacta do poeta pernambucano Fred Caju.
O livro foi produzido em todas as suas etapas pelo próprio autor, que utilizou filtros de coar café como matéria prima para compor sua capa. E o resultado ficou original e personalizado, uma verdadeira preciosidade que já vai sendo revelada desde o esmero da capa. E ainda trás de bônus aquele cheirinho bom de café :D
Ainda não conhece o trabalho de Fred como poeta e editor? Não perde mais tempo! Vem aqui.

Vai um café com poesia aí?
Fonte: Arquivo Pessoal, 2016.


7 - Uma capa que você odiou?

Não é ódio, apenas acho sem graça as capas dessa série Inferno Provisório do escritor Luiz Ruffato, da qual eu tenho o primeiro e o terceiro volume: Mamma, Son Tanto Felice e Vista Parcial da Noite. São aquelas capas que não te chamam atenção em uma livraria, você só vai pegar para ler se já estiver atrás do livro ou se já conhecer outros trabalhos do autor.


Meus Exemplares da Série Inferno Provisório.
Fonte: Arquivo Pessoal, 2016.

8 - Um livro que deu vontade de ler várias vezes?

O Tempo e O Vento, isso mesmo, série completa do Erico Verissimo!
A série já foi tema de postagens aqui no MilkShake, para conferir ou relembrar aqui estão os links: O Continente, O Retrato e O Arquipélago
No entanto, eu ainda não tenho os volumes, li emprestado da Biblioteca. Então não dá para reler sempre...

Por isso, vou indicar outro livro que sempre gosto de reler - A Noiva da Revolução: O romance da República de 1817 - de Paulo Oliveira. Totalmente Pernambucano, mistura ficção e não-ficção e já é um dos meus livros preferidos da vida inteira!
Ele estava esgotado há um bom tempo nas livrarias (e até nos Sebos estava difícil encontrar). Para a minha felicidade, em 2014 ele ganhou uma nova edição. Claro que eu não perdi tempo e corri para garantir a minha. Mas, a primeira vez que li foi emprestado da Biblioteca do CAC - UFPE. 


Edição mais recente de A Noiva da Revolução.
Fonte: Arquivo Pessoal, 2016.

9 - Livros nacionais lidos em 2015?

Literatura Brasileira: modos de usar
Luís Augusto Fischer

Pai e filho, filho e pai
Moacyr Scliar

TOC 140, ANO I, II e III
Cláudia Cordeiro, Antônio Campos (Org.)

Paisagens Sépias 
Fred Caju

A Namorada do Meu Amigo
Graciela Mayrink

Armadilhas do Destino
Cristina Pereyra

Fim do livro, fim dos leitores?
Regina Zilberman

Como e Por que Ler o Romance Brasileiro
Marisa Lajolo

Escolhida pelo Lobo
Flávia Cunha

A Emparedada da Rua Nova
Carneiro Vilela

O Medalhão de Ísis
C. S. Camargo

Arqueologia até debaixo d´água
Gilson Rambelli


Agora é a vez de vocês me contarem: Quais os autores e enredos nacionais que andam povoando as suas estantes? 


   Mahalo :*





2 comentários: